Você está aqui: Página Inicial > Contents > Diretorias > Diretoria de Pesquisa Clínica > PROJETO DE PESQUISA: Perfil Termográfico de Pacientes com Doenças Inflamatórias não Especificadas
conteúdo

PROJETO DE PESQUISA: Perfil Termográfico de Pacientes com Doenças Inflamatórias não Especificadas

por IPeFarM publicado 10/07/2018 10h20, última modificação 10/07/2018 12h05
Seleção de voluntários

A termografia por infravermelho (TIR) baseia-se na emissão de radiação infravermelha de um objeto ou região, captada através de uma câmera termográfica. O uso da técnica de TIR é extremamente útil na identificação de processos inflamatórios pois é capaz de mapear as emissões infravermelhas das dinâmicas circulatórias – aumentadas pela vasodilatação no local da inflamação. Os locais na pele em que estão presentes anormalidades em áreas de vascularização denominam-se pontos quentes que podem ser observados em casos de inflamação aguda. Assim, a utilização do exame termográfico permite observar os indícios do processo inflamatório antes mesmo que os sinais clínicos apareçam e o perfil termográfico do paciente poderá ser delineado. Depois de capturar a imagem, pode-se obter registros de gradientes de temperatura em tons coloridos e habilitar a análise computacional da quantificação e interpretação da imagem.

O objetivo do projeto é avaliar, mediante a coleta de imagens termográficas infravermelhas, os perfis térmico-corporais de pacientes com doenças inflamatórias não especificadas.

O público-alvo do projeto serão pacientes que apresentem queixas de dores e problemas inflamatórias no momento da pesquisa.  

Por ser considerada uma metodologia de investigação rápida, indolor e não invasiva, a TIR pode trazer alguns benefícios ao paciente, pois a imagem térmica pode ser uma ferramenta de diagnóstico, monitorização e rastreio de lesões inflamatórias por medir os padrões anormais de temperatura antes mesmo do surgimento dos primeiros sinais clínicos. Ao identificar os pontos específicos de inflamação, será possível selecionar as melhores alternativas terapêuticas e monitorar a eficácia do tratamento farmacológico. Além disso, os voluntários estarão contribuindo para o progresso científico que poderá, no futuro, ajudar outros pacientes acometidos por lesões semelhante 

PARTICIPAR

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido