Você está aqui: Página Inicial > Contents > Notícias > Ravenna Leite da Silva, membra do grupo de pesquisa CESET, defendeu sua dissertação no LAT.

Notícias

Ravenna Leite da Silva, membra do grupo de pesquisa CESET, defendeu sua dissertação no LAT.

publicado: 11/09/2018 21h46, última modificação: 11/09/2018 21h46

No dia 28 de Agosto de 2018, às 15h, Ravenna Leite da Silva, orientada pelo professor Luiz Bueno da Silva, defendeu a sua dissertação de mestrado que foi produzida no Laboratório de Análise do Trabalho (LAT). A seguir, está o resumo da sua dissertação, que foi intitulada de "Relação Entre Carga Mental de Trabalho e Infecção Hospitalar em UTI".

RESUMO

"Introdução: Em um ambiente hospitalar, o esforço mental de enfermeiros pode ser gerado pela inevitabilidade de atender às necessidades dos pacientes, da interação com os mesmos ou seus familiares, associados com os aspectos emocionais mais intensos do cuidado com vidas. Logo, diante disso, podemos supor que esse ambiente pode ter um efeito sobre a carga de trabalho destes profissionais. Diversos estudos voltados para análise da carga de trabalho de enfermagem concentraram-se com instrumentos voltados para a avaliação da carga de trabalho física (intensidade e volume de trabalho). Estes métodos, por sua vez, parecem insuficientes e mensuração de carga de trabalho deve ser abrangente e dinâmica, havendo necessidade de literatura que considere a carga mental diante das atividades/situações laborais que promovem seu aumento. Ainda são poucas as pesquisas que abordam a carga mental de trabalho (CMT) de enfermeiros incluindo ambientes de UTI’s. Objetivo: verificar a relação entre a carga mental de trabalho de enfermeiros e a infecção hospitalar em uma Unidade de Terapia Intensiva. Método: Participaram da amostra os enfermeiros que desempenhavam suas atividades laborais no turno diurno. A coleta de dados se deu em dois períodos: Dezembro de 2017 com um total de 16 participantes e Abril de 2018 com 14 participantes. Foram utilizados os seguintes instrumentos de pesquisa: (1) questionários socioeconômico; (2) NASA-TLX para análise da carga mental de trabalho das enfermeiras; (3) Nursing Work Índex versão brasileira para avaliar aspectos organizacionais do setor, e por fim, (4) consulta ao banco de dados da SCIH para coleta dos dados referentes aos níveis de infecção hospitalar. Aplicou-se o teste de correlação de Spearman para verificar a associação entre a carga mental de trabalho dos participantes e os níveis de infecção hospitalar, α=0,05. Resultados: observou-se carga mental de trabalho das enfermeiras elevada, com média ponderada do NASA-TLX de 66,38 (DP±15,0). Foram encontradas correlações entre os níveis de infecção hospitalar do setor e a carga mental das enfermeiras (r=0,654, p<0,01), com destaque para infecção do trato urinário associada à sonda vesical de demora (r=0,546, p<0,01) e pneumonia associada à ventilação mecânica (r=0,563, p<0,01). A UTI apresentou um ambiente favorável às práticas de enfermagem com médias inferiores a 2.5, de acordo com o Nursing Work Índex versão brasileira. Conclusão:A carga mental de trabalho das enfermeiras apresentou associação aos níveis de infecção hospitalar do setor de terapia intensiva estudada, principalmente, infecção do trato urinário associada ao uso de sonda vesical de demora e pneumonia associada à ventilação mecânica." 

Palavras-chaves: Carga de Trabalho; Enfermagem; Infecção Hospitalar; Unidade de Terapia Intensiva.