Você está aqui: Página Inicial > Contents > Publicações > Artigos > PROCESSO PRODUTIVO E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DAS MULHERES: SABERES, PRÁTICAS E ARTES NO TERRITÓRIO DA MATA SUL, PARAÍBA, BRASIL
conteúdo

PROCESSO PRODUTIVO E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DAS MULHERES: SABERES, PRÁTICAS E ARTES NO TERRITÓRIO DA MATA SUL, PARAÍBA, BRASIL

por Natanaelma Silva da Costa última modificação 17/01/2017 11h38
Trabalho apresentado no III Congresso Internacional Gestão Territorial para o Desenvolvimento Rural. Resumo: Os territórios rurais de identidade e da cidadania possuem diversas organizações sociais que atuam nos mais distintos campos. Dentre essas organizações vêm crescendo os coletivos de mulheres agricultoras familiares e as dinâmicas produtivas para as quais esses grupos se voltam, geralmente influenciados pela cultura, características climáticas, aptidão produtiva local entre outros fatores. Partindo desse pressuposto objetiva-se com esse trabalho narrar a organização de coletivos de mulheres no Território da Zona da Mata Sul da Paraíba discutindo inclusive as fragilidades e potencialidades das suas atividades produtivas, busca-se também interpretar a atuação do Núcleo de Extensão e Desenvolvimento Territorial (Nedet) e seu reflexo sobre a articulação desses grupos no Território da Zona da Mata Sul (ZMS) da Paraíba. Para alcançarmos esses objetivos foram realizadas visitas e diálogos com as lideranças nos municípios que compõem o Território da Zona da Mata Sul, assim como conversas e reuniões com os grupos identificados e com o Comitê Setorial de Mulheres do território. Para melhor avaliar as ações da assessoria foi utilizado um questionário com questões focadas no processo de articulação, repasse de informações e atendimento das demandas do território, foi também aberto espaço para que os componentes da plenária territorial avaliassem de forma oral e coletiva a equipe de assessores. Com o desenvolvimento do trabalho foram identificados grupos produtivos de mulheres dos municípios de Pitimbu, Pedras de Fogo, João Pessoa, Conde, Bayeux, Pilar, Alhandra nos 13 municípios da ZMS. Esses grupos trabalham com agricultura, artesanato, pesca e gastronomia, porém cada um com sua peculiaridade e potencialidade, porém as fragilidades apresentadas são as mesmas, insuficiências do serviço prestado pela assistência técnica, assim como o frágil ou inexistente processo de formação e de organização. Com relação às ações desenvolvidas pelo Nedet ao longo de 2015, essas foram avaliadas de forma muito positiva pela plenária territorial, nos campos em que se realizou à consulta, dessa forma pode-se afirmar que o reflexo da atuação do Nedet sobre os grupos produtivos de mulheres da ZMS proporcionou um elevado grau de satisfação desse público e que isso vem incidindo diretamente no processo de autonomia e empoderamento das mulheres da Mata Paraibana.